5 de julho de 2018

Coleção Melhores Crônicas: Lima Barreto


Mais uma vez adentrando o campo concernente ao tempo, breve e profundo, das crônicas escritas por grandes autores, dessa vez mais apurado no que diz respeito à compreensão sentimental desses textos que compilam um conjunto de ideias viajantes pelas linhas temporais. Sim, são crônicas: palavras que perduram em sentidos e emoções, cujo tema, apesar dos anos, não se corrompe em suas ações, nem tampouco se esvai como fina areia ao vento. Não é à toa que tal palavra vem de cronos, tratando-se da personificação do tempo na mitologia grega ou mencionando a compreensão dos anos, meses e dias.


Essa introdução é importante ser destacada, pois o exemplar hoje abordado reúne crônicas do autor Lima Barreto, selecionadas por Beatriz Resende, que foram escritas há mais de cem anos e ainda trazem nuances de uma época não mais existente semelhantes às tonalidades encontradas pelas ruas nos dias atuais. Como alguém que sobe uma velha ladeira: a visão e as pessoas não serão mais as mesmas de quem a percorria em seu advento, porém o sentido dado aos passos levará o caminhante ao mesmo destino. Isso acontece com os leitores garimpeiros que buscam no mais profundo da literatura a compreensão para o que ocorre na superfície. Seja por romances, contos, sátiras, crônicas e uma vasta obra em periódicos, há sempre algo a ser descoberto, e foi exatamente assim que o referido autor, Lima Barreto, conseguiu se eternizar.


Isso se torna mais significativo quando nos atentarmos ao fato de que grande parte da obra do cronista foi redescoberta e publicada em livro após a sua morte, o que concretiza mais uma vez o sentido da escrita atemporal. A professora Beatriz Resende afirma que tais textos criados para figurar o espaço provisório de jornais é, sobretudo, um gênero literário que vai além de meros documentos de época, e eu concordo com essa colocação, afinal os mesmos escritos não trazem consigo apenas informações históricas, mas despertam emoções que somente a literatura é capaz de aflorar.


O autor era conhecido como "cronista da cidade" por fazer do Rio de Janeiro seu objeto de paixão, evidenciando-o em descrições singulares e homenageando-o em seus cadernos. A seleção gira em torno dos eixos temáticos que dominaram a produção de Lima Barreto, tais como os subúrbios cariocas, o cotidiano da antiga capital do país e suas reformas urbanas, as mulheres, sua própria vida literária e as lutas políticas que adentrava com afinco.


Sintetizando, trata-se de um livro para conhecer o estilo de um dos mais importantes autores brasileiros. A edição publicada pela Global Editora, de fato, garante essa imersão à maneira crítica de Barreto, refletindo o primor do exemplar em conceitos diagramais e artísticos. Nessa fusão de reveses sociais e pessoais que reflete uma certa iniquidade na literatura, o cronista busca mostrar o real desmascarado, como mencionou o literato Antonio Candido. Assim é possível perceber que nos textos do autor que apresentam críticas rigorosas, também expressam vontade revolucionária e força invencível do povo, tornando-se atuais, ainda que quase perdidos na obscuridade do tempo.

Clique aqui para adquirir o exemplar
Nome: Coleção Melhores Crônicas: Lima Barreto
Seleção: Beatriz Resende
Editora: Global
Publicação: 2005
Páginas: 304
Sobre: A coleção "as melhores crônicas" reúne os escritos do carioca Lima Barreto. Dividido em seções que vão do "Football" até Mulheres, passando por política, o leitor conhece melhor este clássico da literatura brasileira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário