História da Vida, de Edmac Trigueiro


É contemplando a capa deste exemplar que se percebe uma sobreposição das profundezas oceânicas, em sua estonteante impenetrabilidade azulada, contrastando com o cerúleo firmamento, para despertar em nossa mente as perguntas referentes ao tema. De fato, desde o primeiro olhar, é possível perceber a referência da obra em relação à primazia de seu título: História da Vida. E é nessa percepção que damos início a um itinerário informativo da biologia evolucionária, porém desenvolto em nuances descontraídas, sobre a vida a partir do seu começo, nas águas sombrias dos mares sem fim, até o momento em que inspiramos não apenas o ar que nos rodeia, mas também uma boa fonte de conhecimento, tal como a que Edmac Trigueiro nos relata em sua obra. 


O livro que se desenvolve dentro dos preceitos da teoria evolucionista, consegue conduzir um público alvo abrangente dentro daquilo que se propôs a abordar na sinopse. Isso porquê, como já mencionei, a genialidade está na simpleza em se tratar de um tema tão complexo aos olhos da maioria; por isso essa capacidade inclusiva de leitores leigos se faz presente nas páginas de seus capítulos. Além disso, o próprio autor afirma na introdução que não é seu objetivo ser dono da verdade, mas sim discorrer com esmero o conteúdo indicado. De fato, este papel é realizado quando Trigueiro deixa claro que sua pretensão é fazer com que os leitores não se sintam presos nas paredes técnicas de exemplares acadêmicos, mas que depositem as horas de leitura de seu livro assim como se depositassem ao entretenimento.


Isso não faz com que o livro perca a credibilidade, tratando-se de um assunto científico. Ora, basta pararmos para pensar no quão difícil é tornar algo incompreensível aos olhos de muitos, numa fonte de sabedoria nada elitista e acessível a todos que se sintam atraídos pelo tema. É nesse coletivo de particularidades que somos apresentados ao personagem Luca, responsável por enlaçar os capítulos arranjados em sua evolução. Este é um fator importante para gerar interesse à obra entre jovens e adolescentes, cuja curiosidade é aguçada pela empatia que o mesmo proporciona.


Basicamente, são cinco capítulos, além da introdução e referências — que por sinal, refletem o estudo minucioso e detalhado para se obter o resultado —, cujo primeiro nos apresenta o protagonista como último ancestral comum universal (uma bactéria), dando margem à narrativa destemida com o intuito de responder às perguntas da forma mais simples e completa possível. Nesse contexto, Trigueiro citará autores como Charles Darwin e Gregor Mendel, além de várias outras obras importantes, refinando o conjunto de referências e apurando nossa capacidade de argumentação perante o assunto, uma vez que o conteúdo de seu livro é fluído e sem rodeios metódicos.


Em síntese, trata-se de um livro de biologia complementar aos alunos que estudam essa disciplina na escola e adicional para os interessados ao tema. Acredito que posso compará-lo como uma porta de acesso à informação, ou seja: aqueles que não dominam tal assunto, mas querem aprender algo substancial referente a esta proposição, recorrem à obra. A própria linguagem utilizada propicia esta introdução.
Outra coisa que deve ser mencionada, também, são os esquemas idealizados pelo autor visando explicar o período das eras e fases do processo evolucionário. Mesmo sendo um livro biológico, sua carga histórica e geográfica também é muito grande, percebida pelos relatos e conteúdo disponibilizado à medida em que avançamos na leitura. Ao certo, Trigueiro conseguiu abordar de forma simples, respeitosa e excepcional o tema que propôs, facilitando a vida de estudantes e curiosos ligados por uma característica em comum: o constante interesse de aspiração do saber. 

Clique aqui para adquirir o exemplar.
Título: História da Vida | Autor: Edmac Trigueiro
Editora: Talentos da Literatura Brasileira
Publicação: 2015 | Páginas: 112
Sobre: Neste livro, o diálogo constante será com a Biologia Evolucionária.O Universo e a Vida são cheios de mistérios. O ser humano, desde a pré-história, sempre sonhou em desvendá-los. Somos muito privilegiados por vivermos no séc. XXI, época em que já estamos bastante próximos de descobrirmos os grandes mistérios da origem e da evolução da vida, cujo véu, posto pela mitologia, é, agora, desvelado pela Ciência.

Compartilhe no Google Plus

Sobre Pena Pensante

Filipe Penasso: Editor e resenhista do Pena Pensante, graduado em relações internacionais e autor do livro de poesias Entre Asas e Raízes.
    Comente pelo Blogger
    Comente pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário