A Noite da Espera, de Milton Hatoum


Ao pesquisarmos a definição de um romance de formação, perceberemos que se trata do processo de desenvolvimento físico ou moral de um personagem que geralmente encontra-se na idade infantil, passando pela adolescência e indo até o início da fase adulta. Em outras palavras, entendi como um amadurecimento atribuído ao protagonista, que passa a coibir aspectos imaturos, antes julgados como importantes em sua concepção da realidade, abrindo espaço para a apuração de fatos ponderados pela ação que o tempo desempenha dentro da trama, tendo como consequência a emergência do equilíbrio entre a razão e o juízo. É exatamente isso que temos no primeiro volume da trilogia O Lugar Mais Sombrio, de Milton Hatoum. O livro, intitulado de A Noite da Espera, é um romance de formação que o autor publicou em 2017, nove anos depois de sua última narrativa longa.


Um dos atrativos mais importantes do exemplar é, sem dúvidas, a capacidade de conduzir o leitor por dois itinerários distintos, direcionados ao mesmo sentido. São eles a realidade e a ficção. As ideias e elucubrações do autor para formalizar sua história condizem com seu imaginário formado pelas experiências ao longo de sua vida. Sendo assim, essa parte ficcional da trama, carrega consigo uma historicidade junto ao contexto em que foi, de fato, desenrolada. Sabemos que obras assim, têm muito a ensinar aos leitores ávidos por conhecimento, pois, por mais que há o aspecto criacionista por parte de quem escreve, sua narrativa se desenvolve diante de cenários e acontecimentos reais que marcaram época, trazendo cicatrizes até os dias atuais.


Martim, o personagem principal, tem suas memórias transcritas e repensadas em Paris, onde está exilado devido ao regime ditatorial que marcou as décadas de 60, 70 e 80 no país. É esse o contexto que dá margem ao processo de descrição da presente história. Lá, ele retorna no tempo, trazendo à mente suas reminiscências desde a época em que se mudara para Brasília devido à separação de seus pais. Esse acontecimento é o recurso literário que abre as portas para o desenvolvimento pessoal e amadurecimento do protagonista adolescente, iniciando sua fase adulta. O rapaz que fora morar com o pai, sentiu a ausência da mãe com quem tinha maior afinidade, e isso despertou na narrativa sentimentos de dúvidas, apreensão, violência e trauma.


Os problemas internos e sentimentais de Martim se misturam com os externos e indolentes de uma época turbulenta e brutal da ditadura. O personagem, então, se envolve com um grupo de jovens que manifestam em diferentes ângulos conceitos artísticos, tais como teatro e literatura, indo contra o regime da época. A partir daí, temos a oportunidade de explorar a capital recém-inaugurada e as sensações que o protagonista tem ao enfrentá-la, ainda que não seja um militante da linha de frente. Por ser um tanto quanto apático diante de situações políticas, percebemos que suas reais preocupações ainda permanecem dentro de sua própria casa; seja pelo difícil convívio com o pai amargurado ou pela indagação do paradeiro da mãe e os verdadeiros motivos de sua ausência — o que para nós, leitores, também é um mistério.


É válido ressaltar o fato da trama ter como cenário a capital do Brasil, que, segundo palavras de Clarice Lispector, "é construída na linha do horizonte, tão artificial como devia ter sido o mundo quando foi criado". Ainda que a trama gire em torno das experiências sentimentais do protagonista, descaracterizando o que poderia ser um livro político, os detalhes a serem percebidos fazem a diferença na primazia da escrita de Hatoum. Por ser o primeiro volume de uma trilogia, a obra faz jus ao título, deixando-nos esperar por respostas sob a escuridão de indagações recorrentes; o que pode ser encarado como algo positivo, pois se há questionamentos a respeito de desfechos indeterminados, há, sem sombra de dúvidas, interesse em ler os próximos volumes. Em síntese, posso dizer que Milton Hatoum domina o ofício da escrita, sendo capaz de resgatar do próprio passado, lembranças usadas como combustível para girar a engrenagem que desenrola ideias a fim de transformá-las em palavras no papel.

Clique aqui para adquirir o exemplar.
Título: A Noite da Espera
Autor: Milton Hatoum
Editora: Companhia das Letras
Publicação: 2017
Páginas: 240
Sobre: Nove anos após a publicação de Órfãos do Eldorado, Milton Hatoum retorna à forma da narrativa longa em uma série de três volumes na qual o drama familiar se entrelaça à história da ditadura militar para dar à luz um poderoso romance de formação.
 
Compartilhe no Google Plus

Sobre Pena Pensante

Filipe Penasso: Editor e resenhista do Pena Pensante, graduado em relações internacionais e autor do livro de poesias Entre Asas e Raízes.
    Comente pelo Blogger
    Comente pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário