Arquivos do Mal-Estar e da Resistência, de Joel Birman


Para início de conversa, preciso dizer que esta obra é extremamente rica e completa no assunto tratado pela mesma, porém feita para um público seleto, já que se trata de um livro teórico e interdisciplinar da área da psicologia e psicanálise; mas isso não exclui a possibilidade de pessoas de outras áreas, assim como eu, se interessar pelo tema. Como o próprio nome já diz, Arquivos do Mal-Estar e da Resistência percorre uma série de problemáticas que constituem o campo do mal-estar na atualidade, impondo a indicação de como se conjugam para se evidenciar em sua formalidade.


O nome "arquivo" se dá, de fato, devido a estas mesmas problemáticas, evidenciadas por Birman, serem estabelecidas como fios que definem o recorte do conjunto da obra. E a resistência acontece, inevitavelmente, pois indica a efetividade de desejo que circula pelos corpos, pelo qual o contrapoder se opõe às artimanhas da fragmentação e do poder.
De certo, o livro convida o leitor a se aventurar numa linha tênue entre os impasses e a abertura de novos horizontes para o futuro "sempre no fio da navalha entre os territórios do possível e do impossível". Dividido em dezesseis capítulos, a obra discute em cima dos elementos da crise e problemas contemporâneos, tais como o esfacelamento da perspectiva de futuro, os vínculos sociais e afetivos frágeis, a hipervalorização do consumo, a fragmentação do sujeito e as consequências da responsabilidade absoluta pela gestão da própria vida.


Para simplificar, os temas abrangem um contexto de servidão, fraternidade, amizade, transgressão, assédio, patriarcado, novas modalidades de subjetividade e biopolítica. Todos esses aspectos servem, também, como um debate sobre a crise da psicanálise que realiza uma autocrítica de todas as ortodoxias que marcaram a história do autor. E ao final de cada capítulo, temos um leque de notas para que seja aprofundada qualquer pesquisa ou trabalho de mesmo tema, Sobre a edição, não posso deixar de mencionar a organização e o capricho da editora Civilização Brasileira juntamente com a arte da capa.
Em síntese, é uma leitura para quem gosta de colocar o cérebro para funcionar; confesso que foi um dos exemplares mais difíceis que já falei sobre, todavia, sua proposta enriquece as bases acadêmicas de qualquer um que se aventurar por suas páginas e capítulos, responsáveis por mostrar a atualidade do pensamento freudiano e a vitalidade da produção brasileira em psicanálise. 

Clique aqui para adquirir o exemplar!
Título: Arquivos do Mal-Estar e da Resistência
Autor: Joel Birman | Editora: Civilização Brasileira
Publicação: 2006 | Páginas: 418 
Sobre: É esse o eixo, político e simbólico, que pode nos orientar na leitura das novas formas de subjetivação na contemporaneidade. Todas as modalidades de mal-estar e questão colocam sempre uma mesma problemática de base, qual seja, como é possível para a individualidade ordenar-se psiquicamente sem contar com a presença e a referência de um povo único e central de poder?

Compartilhe no Google Plus

Sobre Filipe Penasso

Autor e resenhista do Pena Pensante, 22 anos, acadêmico de Relações Internacionais e Comissário de Voo por formação.
    Comente pelo Blogger
    Comente pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário