O Velho e Seus Filhos (The Old Man and His Sons)


Estava folheando um velho livro de contos, cujas páginas eram amareladas devido ao tempo, quando parei em uma que me chamou atenção. O desenho era triste, antigo e com traços fortes nas expressões faciais. Um senhor com idade avançada sentado numa poltrona, com seus quatro filhos em volta, apoiava sua mão esquerda na bengala enquanto a direita segurava um objeto. Foi então que iniciei a leitura e me surpreendi com o ensinamento passado. O texto original está abaixo em inglês, e, em seguida, a tradução para o português. Em poucas palavras, somos capazes de refletir sobre a grandeza da sabedoria inerente ao tempo.

The Old Mand and His Sons
An old man had many sons, who were always quarrelling with each other. After trying in vain to make them live at peace together, he one day hit upon the following plan. 
He took a bundle of sticks, and asked his sons one after the other to break them. They tried with all their might, but in vain, for the sticks were closely and firmly bound together.
The father next untied the bundle, and gave his sons the sticks to break singly, which they did very easily. Then he spoke to his sons in these words: "Oh, my sons, behold the power of unity. If you would but keep yourselves joined together by love to one another, no enemy would be able to hurt you; but when you are divided from each other by your quarrels, you are weak, and it is easy for your enemies to injure you."
Union is strength.

O Velho e Seus Filhos
Um velho homem tinha muitos filhos, os quais viviam brigando entre si. Depois de muitas tentativas para fazê-los viver em paz, o homem colocou em prática o plano seguinte.
Pegou uma porção de gravetos, e pediu a cada um dos filhos para que quebrassem o punhado. Eles tentaram com toda força, mas em vão, já que os gravetos estavam reunidos firmemente.
Então, o pai separou o punhado, e deu aos filhos para que tentassem quebrar os gravetos separadamente; e eles o fizeram com toda facilidade. Assim, o homem disse para os meninos as seguintes palavras: "Meus filhos, contemplem o poder da união. Se permanecerem unidos no amor um com o outro, nenhum inimigo será capaz de machucá-los; mas caso houver divisão por desafeto, estarão fracos, e fáceis para os danos dos adversários.
A união é a força.

Traduzi da forma que achei melhor, para que a mensagem fosse passada, ao meu ver, com mais clareza possível. Tal conto me fez recordar do tema da Campanha da Fraternidade de 1973, em que a música já dizia: "o amor liberta; o amor constrói; o egoismo escraviza e destrói".

Compartilhe no Google Plus

Sobre Filipe Penasso

Autor e resenhista do Pena Pensante, 22 anos, acadêmico de Relações Internacionais e Comissário de Voo por formação.
    Comente pelo Blogger
    Comente pelo Facebook

2 comentários: