Book Haul de Novembro de 2016


Mais um mês que passou e deixou boas experiências literárias. Romances medievais, reflexões, espiritualidade, contos e encantos formaram novembro no quesito "leitura". Abaixo você pode conferir quais foram as obras e ler suas respectivas sinopses; além disso, terá a oportunidade de conhecer mais exemplares parecidos com o tema clicando no link deixado no rodapé de cada uma. 


A Rebelde, de Valeria Montaldi
Em 1254, numa época em que as mulheres têm como destino apenas o casamento ou a vida religiosa, Caterina de Colleaperto ousa se dedicar totalmente ao estudo da arte médica. Seu empenho e sua competência levam-na a trabalhar no hospital mais importante de Paris, o Hôtel-Dieu.
Aos poucos se destaca em sua carreira, mas seu espírito livre, forte e decidido torna-se alvo das intrigas de uma instituição exclusivamente masculina. Por isso, quando um crime ameaça manchar o bom nome do hospital, todas as acusações são lançadas contra ela. Para se esquivar das denúncias, Caterina é obrigada a uma fuga precipitada para Milão, sua terra natal. Ao chegar, encontra uma cidade onde a fome e as doenças exterminam os mais necessitados. Mais uma vez a injustiça parece dominar, mas Caterina está determinada a ajudar o próximo e retomar o controle da própria vida.
Gostou da sinopse? Clique aqui para adquirir o exemplar!


O Encontro, de João Mohana
Ao lado da candência de cada tema, João Mohana nunca errou, em nenhuma de suas obras, o alvo pretendido. Dono de um poder criativo inesgotável, tornou-se um profissional das letras incomparável, sem que nenhum de seus livros tenha caído em esquecimento. O Encontro inaugura como que um gênero novo na produção do autor, mostrando facetas valiosas da espiritualidade cristã — agora não apenas para casados ou candidatos ao casamento — estreitamente ligadas a elementos de ficção.
Não há dúvida de que estamos perante uma obra destinada a cativar os leitores mais diversificados, sejam adultos ou jovens, solteiros ou casados, religiosos ou leigos. Bastará apenas que encontre em cada um sensibilidade capaz de degustar o que foi escrito com bom gosto incomum.
Gostou da sinopse? Clique aqui para ler a resenha.


Depois do Aguaceiro, de Lucília Junqueira de Almeida Prado
Não é comum ver-se alguém entrar numa livraria e pedir um livro de contos. Todos os bons livreiros poderão dizer que, indiscutivelmente, o romance é sempre mais procurado. A não ser no caso do presente livro, em que surge um conjunto de histórias tão particularmente diferentes, de fabulação nova, estilo singular e absorvente. Histórias que crescem em qualidade e também em dimensão, pois que a primeira, O Sonho Mais Sonhado, uma fascinante bluette, tem apenas 19 linhas, e a última O Jardim, com 28 páginas, evidentemente se enquadra no gênero novela, pois que, se desenvolvida, tornaria um romance.
Naturalmente que a autora, Lucília Junqueira de Almeida Prado, não os escreveu nesta ordem, mas somente após tê-los elaborado resolveu colocá-los assim, num crescendo, cuidando  que os professores, caso o livro seja usado nas escolas, poderão usar este motivo para fazer com que os alunos pesquisem: Quais os trabalhos no livro que se enquadram no gênero conto e quais os que se enquadram no gênero novela?
Gostou da sinopse? Clique aqui para conhecer mais obras da autora.


Uma Introdução à Teoria da Democracia, de Pedro Medeiros
Da sua origem, na Grécia Antiga do século V a.C., até a atualidade, a democracia, como conteiro teórico e regime político, vem sendo extensamente discutida. Muitos autores divergem quanto ao desenvolvimento e a validade dos argumentos que embasam esse tema e até hoje não existe um consenso sobe a prática.
Dessa forma, para que possamos compreender melhor a contemporaneidade, convidamos você a investigar como se constituem e funcionam os governos democráticos e a explorar a elaboração dos modelos normativos que dão suporte ao que, em muitos casos, se acredita que a democracia deveria ser.
Gostou da sinopse? Clique aqui para ver mais livros sobre o tema.

Compartilhe no Google Plus

Sobre Filipe Penasso

Autor e resenhista do Pena Pensante, 22 anos, acadêmico de Relações Internacionais e Comissário de Voo por formação.
    Comente pelo Blogger
    Comente pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário