Testamento do Terror, de David Morrell


Afirmo que quando escolhi ler este exemplar, pensei em algo totalmente diferente a respeito de sua premissa, simplesmente pelo título e sinopse; mas, enfim, terminada a leitura, vi que nada do que eu imaginei, de fato, aconteceu. E a cada página virada, uma surpresa, tanto boa quanto ruim. É válido ressaltar que o autor, David Morrell, é o mesmo que criou o personagem Rambo nos cinemas, interpretado por  Sylvester Stallone.
Falando agora sobre Testamento do Terror, logo imaginamos um livro de horror onde coisas terríveis acontecem. Sim, trata-se de uma obra desse tipo, mas não contextualizada só nisso, porém em um clima de suspense e apreensão, com uma pegada de romance policial e aventura. Toda essa mistura me fez um pouco confuso sobre o objetivo do autor, apesar da obra ser detalhada e com diálogos impecáveis — talvez essa seja uma característica marcante de Morrell — que nos fazem vivenciar realmente os sentimentos dos personagem, e imaginar suas respectivas vozes em nossas cabeças.


A trama se dá em meio a um artigo publicado, onde o autor Reuben Bourne começa a receber ameaças de morte junto a sua família. Depois de uma sequência de tragédias, ele se vê na obrigação de deixar a residência para se esconder em um lugar distante. Mas de nada adianta, e o mesmo acaba sendo descoberto pelos bandidos, necessitando mudar novamente de região. A obra segue esse fluxo até as partes finais, onde esperei uma reviravolta, e, infelizmente, fui desapontado.
Em síntese, não superou minhas expectativas, apesar dos sentimentos distintos provocados no decorrer da leitura. Falo isso pela contextualização da obra e a relação do título com o enredo. Todavia, sei da experiência e prestígio de David Morrell no mercado editoral; de tal forma que sugiro a leitura do livro para aqueles que se interessaram, mas ressalto a preparação necessária, uma vez que os temas abordados causam repulsa e angustia na maioria dos leitores

Nome: Testamento do Terror
Autor: David Morrell
Editora: Best Seller
Publicação: 1977 | Páginas: 249
Sinopse: Perseguido por um inimigo implacável, no desenrolar de terrível e inexplicada vingança, o jornalista Reuben Bourne é obrigado a fugir e se esconder em campos desertos e montanhas geladas dos Estados Unidos. Desde as primeiras linhas o leitor é envolvido numa aventura de ritmo vertiginoso, que mostra como o homem comum de nossos dias pode ser colhido num vórtice de ódio e brutalidade.

Compartilhe no Google Plus

Sobre Filipe Penasso

Autor e resenhista do Pena Pensante, 22 anos, acadêmico de Relações Internacionais e Comissário de Voo por formação.
    Comente pelo Blogger
    Comente pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário