A Revolução dos Bichos, de George Orwell


Podemos dizer que se trata do livro mais famoso do autor Eric Arthur Blair, cujo pseudônimo era George Orwell, que fez história na literatura com suas críticas e romances, até 1950 — ano de sua morte. Quando a obra foi publicada em forma de conto, no ano de 1945, houve uma repercussão negativa a respeito, já que tal fábula era uma analogia política que tinha como objetivo criticar o stalinismo — período em que o poder político socialista da União Soviética ficou nas mãos de Josef Stalin. Apesar de ser um pouco contraditório, uma vez que o autor era comunista, a obra apresenta pontos fundamentais para entender de forma lúdica o socialismo e os aspectos negativos que o stalinismo trouxe para tal doutrina. 
Um dos motivos do sucesso da obra foi a caracterização da escrita e a leveza em que trata assuntos pesados e difíceis de entender, já que tal tema não está apontado na sinopse, tampouco no título. A trama ocorre na Granja Solar, com todos os tipos de animais de fazenda: galinhas, porcos, cachorros, vacas, carneiros, cabritos, ovelhas, burros, cavalos, etc. Tudo começa depois que o porco Major, o mais velho de todos, tem um sonho.


Major então reúne a bicharada para contar o que havia sonhado. Disse que sem os humanos a vida dos animais seria muito melhor, uma vez que os "bípedes" não produzem nada, mas roubam tudo o que os animais produzem — leite, ovos, lã, entre outros. O porco sugere uma vida de maior descanso aos ali presentes, caso os humanos não existissem. Passada a reunião, Major morre de causas naturais devido à velhice e os bichos começam a refletir sobre o tema proposto: a revolução.
Não precisou de muito tempo para que todos ficassem exaustos da exploração dos humanos; assim expulsam da Granja Solar seus respectivos donos e a renomeiam para  Granja dos Bichos. Após uma grande assembleia, cada espécie é designada a uma tarefa para manter a ordem no local, comandada apenas por animais. Tal sistema recebeu o nome de animalismo, e prezava a coletividade e conforto de todos os bichos da granja. Porém, os porcos começaram a se sentir mais importantes do que as outras espécies e iniciaram um processo para tirar vantagens de suas posições, corrompendo o sistema imposto para viverem com mais luxo e conforto.


À medida em que o tempo ia passando, os porcos foram se apropriando das coisas dos humanos. Começaram a viver na casa, a vestirem as roupas e a beberem cerveja. Em dado momento, as outras espécies notaram que todo o sistema imposto tinha ido abaixo, e a igualdade entre os bichos já não era mais fruto da revolução.
E nesse contexto, a trama segue seu fluxo como analogia fabulística. É importante dizer que ainda hoje há países que proíbem a publicação do exemplar, como a China, Coreia do Sul e países islâmicos. O brilhantismo de Orwell para criticar a tirania é inegável; sua inteligência e precisão para retratar  a política distorcida e corrupta mais ainda. Por isso, vale a pena ler esse exemplar que tem como objetivo abrir os olhos daqueles que o leem. 

Clique aqui para comprar o exemplar.
Nome: A revolução dos Bichos
Autor: George Orwell | Páginas: 152
Ano: 1945 | Editora: Companhia das Letras
Esse livro no Skoob | Sobre: De certo modo, a inteligência política que humaniza seus bichos é a mesma que animaliza os homens. Escrito com perfeito domínio da narrativa, atenção às minúcias e extraordinária capacidade de criação de personagens e situações, A revolução dos bichos combina de maneira feliz duas ricas tradições literárias: a das fábulas morais, que remontam a Esopo, e a da sátira política, que teve talvez em Jonathan Swift seu representante máximo.
Compartilhe no Google Plus

Sobre Filipe Penasso

Autor e resenhista do Pena Pensante, 22 anos, acadêmico de Relações Internacionais e Comissário de Voo por formação.
    Comente pelo Blogger
    Comente pelo Facebook

4 comentários:

  1. Esse é um bom livro, foi minha leitura obrigatória na faculdade e até tivemos que refazer a história para infato-juvenil, gostei muito.

    Visite: http://carpediemmica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Micaeli. Realmente esse livro é uma fonte de sabedoria em forma de conto. Eu também gostei muito da leitura! Abraço. =)

      Excluir
  2. É um belo livro. Possui muita crítica nas entrelinhas, mas ainda consegue ser leve e de fácil compreensão. Ótimo post

    ResponderExcluir
  3. Enviamos um convite para o teu email :)

    ResponderExcluir