Pompeia, de Mary Beard


Por quase dois mil anos, a história de Pompéia, antiga cidade romana que foi destruída pelas chamas ardentes do gigante vulcão Vesúvio, localizado no Golfo de Nápoles, assombra a humanidade. Isso porque, de acordo com os relatos, é sabido se tratar de uma das maiores catástrofes que se tem registro. A erupção de Vesúvio fez o chão tremer enquanto enormes bolas de fogo caíam do céu, gases venenosos tomavam conta do ambiente e a lava incandescente transbordava da montanha, varrendo tudo e todos. Esse triste dia inspirou escritores a escreverem seus romances, roteiristas a produzirem seus filmes e até poetas fizeram poesia sobre a montanha, mas diferente dos demais fez Mary Beard, famosa classicista britânica que produziu sua obra com o intuito de mostrar a realidade por trás das especulações. O resultado foi o brilhante exemplar, aqui resenhado, que, de tão rico em detalhes, originou um documentário na BBC sobre o tema em março de 2016, dando aos leitores da obra a possibilidade de viajar no tempo e conhecer a tão famosa cidade romana.


Para caracterizar o exemplar, sem dúvidas, trata-se de uma obra extremamente detalhada, profunda e densa. Já no início temos a oportunidade de conhecer toda a história que cercava a cidade, antes mesmo do Império Romano, com ilustrações de mapas e comparações de suas diferenças do decorrer do tempo. Desde ruas, calçadas e becos, até casas, comércios e pontos de lazer são retratados nos mínimos detalhes, com enfoque na arquitetura única e pitoresca. Além desses aspectos, o sistema político e a fonte de renda na cidade não ficaram de fora do exemplar, provando o quão minuciosa foi a pesquisa da autora.
Passando a parte da organização da cidade, caímos nos hábitos de entretenimento dos cidadão de Pompeia, com relatos de jogos e diversão. De fato era uma cidade teatral, com fascínio nas estrelas, famosa por seus banhos e vinhos, além de praticar atividades mortais, como o combate de seres humanos com animais selvagens, comuns na época do Império Romano. A cidade cultuava muitos deuses e deusas também, um número tão elevado que, de acordo com o exemplar, se contássemos todos, o número seria maior do que o de habitantes.


Em síntese, devo dizer que foi, para mim, uma imersão na cultura de um tempo quase esquecido. Não posso deixar de citar, também, sobre as mais de 130 belíssimas gravuras coloridas do livro  que completam a experiência do leitor. Hoje, sabemos que por trás de todos aqueles corpos petrificados sobre o chão de rocha vulcânica, existe a história do que era considerado uma metrópole para a época. Pompeia foi um marco na humanidade, exemplo colossal de cidade romana destruída pela força da natureza  que, em meio as cinzas da destruição, conseguiu perpetuar-se na imaginação de todas as gerações que já existiram.

Anexo: Se você quiser saber mais sobre a Montanha de Vesúvio, por si só, acesse o artigo já publicado no blog, clicando aqui.

Clique aqui para comprar o exemplar!
Título: Pompeia, A Vida de Uma Cidade Romana
Autora: Mary Beard
Editora: Record Publicação: 2016
Páginas: 420 | Esse livro no Skoob
Sobre: O livro que reúne tudo o que é preciso para que o leitor se sinta guiado ao longo de uma viagem pelas ruas e casas da verdadeira Pompeia. A especialista em classicismo Mary Beard vai além das questões mais corriqueiras, aprofunda-se em detalhes muitas vezes negligenciados, questiona posições já consagradas por arqueólogos de diversas épocas e desmistifica inúmeros fatos relacionados ao cotidiano daquela população.

Compartilhe no Google Plus

Sobre Filipe Penasso

Autor e resenhista do Pena Pensante, 22 anos, acadêmico de Relações Internacionais e Comissário de Voo por formação.
    Comente pelo Blogger
    Comente pelo Facebook

2 comentários:

  1. Eu fiquei com água na boca para ler esse livro. Vou adicionar já na minha lista do Skoob!
    www.retalhodavida.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Jéssica! Fico feliz que tenha gostado. :)

      Excluir