A Velha Fábula do Macaco e do Gato


Há muito tempo era contada uma história para as crianças dormirem de um macaco chamado Simão e um gato chamado Micefufe. Eram de propriedade de um mesmo senhor e juntos, os dois,  levavam a vida como lhes era possível. Mas que bom par de tratantes aquele homem reunira em casa! Os dois diabretes não tinham medo de nada, e, por aí, podia-se aquilatar o que faziam.
Se sumia alguma coisa em casa, ou se algum objeto aparecia quebrado, já se sabia. A culpa seria do irrequieto Simão. Micefufe, por seu turno, levava a vida sossegada, sem preocupações de nenhuma ordem. Até os ratos já andavam insuportáveis, por saberem que não seria aquele gato que lhes daria caça. Micefufe só se preocupava mesmo com o comer e engordar. Quando não estivesse cochilando, era certo encontrá-lo comendo.
Certo dia, estavam os dois animais à beira do fogão, vendo assarem algumas castanhas e pactuaram entre si. É evidente que de uma aliança entre aqueles dois espíritos malignos nada de bom poderia sair. Estavam pensando num modo de pregarem uma peça na cozinheira.
Simão, entre os profundos pensamentos a que estavam entregues, rompeu o silêncio e falou ao companheiro:
— Micefufe, hoje terás de fazer uma das tuas. Se os anjos tivessem me dado habilidade para tirar as castanhas do fogo, eu já as teria pegado. Mas, infelizmente, não tenho esse talento e a ti caberás a tarefa.


Foi o que bastou para que o gato se decidisse. Sorrateiramente foi estendendo as suaves e delicadas patinhas, afastou um pouco as castanha das cinzas e retirou rapidamente os dedos que queimavam. Esperou mais um pouquinho e voltou à operação. Desta feita, já apanhava, uma a uma, as castanhas, atirando-as para onde se encontrava Simão. Este, conforme as ia recebendo, começava a descascá-las e comê-las sem parar. 
Já Micefufe havia apanhado muitas castanhas e Simão também já as tinha comido, quando chegou a cozinheira. Ambos assustados, saíram correndo. Micefufe, ao que pareceu, não ficou muito satisfeito quando, de passagem, perguntou ao companheiro onde estava os frutos do roubo. Não poderia ser de outra forma. Além de ter-se arriscado a roubá-las, ter as patas queimadas, o que agora lhe dificultava a fuga, via perdido todo o esforço, pois Simão não deixara ficar ao menos uma intacta.
Tal como aconteceu a Micefufe, tampouco ficam satisfeitos aqueles príncipes que, instigados por falsos amigos, atacam outros países, roubando as castanhas para proveito de algum outro monarca e, mesmo nos dias de hoje, ao compararmos essa pequena fábula com a realidade, seremos capazes de encontrar inúmeras semelhanças. 

Compartilhe no Google Plus

Sobre Filipe Penasso

Autor e resenhista do Pena Pensante, 22 anos, acadêmico de Relações Internacionais e Comissário de Voo por formação.
    Comente pelo Blogger
    Comente pelo Facebook

34 comentários:

  1. Olá Filipe, eu ainda não tinha conhecimento sobre essa fábula, mas adorei e achei super interessante se formos levar em consideração sobre as semelhanças com nossa própria realidade, e claro que concordo plenamente com isso. As fábulas tem muito que nos ensinar e isso é fato!
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, muito obrigado! Fico extremamente feliz que tenha gostado! :)

      Excluir
  2. Faz tanto tempo desde que li uma fábula, que tinha até me esquecido do quanto elas podem nos ensinar em qualquer momento da vida. As semelhanças com os dias de hoje, de forma alguma passam despercebidas.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Menino, acho que eu não leio uma fábula desde que eu era criança! hahaha
    Eu não conhecia essa do macaco e do gato, mas achei bem legal.
    É impressionante como, nas entrelinhas, são dadas lições pra gente, né?
    Quando a gente é criança às vezes a gente nem percebe, depois que a gente vai entender a profundidade da história!

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As fábulas sempre têm algo a nos ensinar, Tamires! Obrigado pelo seu comentário! =)

      Excluir
  4. A-do-rei!!!
    O nome dos personagens são diferentes, mas a pertinência do enredo é quase assustador se compararmos com a nossa vida de uma forma geral.
    Ainda não conhecia e já estou passando o link para s amigos.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz de saber que gostou, Ivi! =)

      Excluir
  5. Olá

    Nossa a quanto tempo que eu não li nada de fábulas, quando era criança adora e sempre estava lendo principalmente na escola, bateu até uma nostalgia agora. Acho bem legal a forma como elas indicam a realidade é até mesmo para o dia a dia. Adorei a postagem trás mais assim.

    Everton equipe Rillismo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, Rillismo! As fabulas nos ensinam grandes coisas, desde que tenhamos a capacidade de perceber! :)

      Excluir
  6. Oi Filipe, tudo bem?
    Que fábula interessante, nunca ouvi falar antes mas adorei conhecê-la. E você está certo, é possível perceber as semelhanças dessa fábula no nosso cotidiano. Esse macaco representa muitas pessoas manipuladoras, que estão sempre de olho em alguma coisa e usam do sofrimento de outras pessoas para atingir esse objetivo. Acredito que todos nós devemos ter passado por alguma situação parecida. Me identifiquei com o gato pois já coloquei a mão no fogo (não literalmente, claro) por algumas pessoas sem receber nada de troca e isso é bem frustrante.

    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Amanda! Isso é mais comum do que parece... Percebe o poder das fábulas? Mesmo sendo algo fantasioso, é possível ser comparada com a realidade!

      Excluir
  7. Olá
    Comecei a ver o verdadeiro sentido das fábulas apenas depois que cresci, e resolvi ler algumas conhecidas novamente só para entender o que o autor realmente quis passar para nós. Esta eu ainda não conhecia, gostei muito de conhecê-lo agora é entender bem.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, a medida que vamos crescendo, vamos adquirindo mais maturidade para enxergar o mundo de uma outra forma. Um bom exemplo, como você mesmo disse, são as fábulas infantis! =)

      Excluir
  8. Eu não conhecia essa fábula, mas como de praxe, ela tem um ensinamento importante e, que apesar de ser mais voltada para o público infantil, nós temos muito mais a aprender.
    Com uma história simples, nos faz refletir nossa existência e o que fazemos com nossas vidas. Adorei!
    Foi você mesmo que escreveu?

    Virando Amor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Carol, essa fábula centenária foi passada de geração em geração e não sabemos, ao certo, quem é o autor. As palavras usadas no texto são minhas, pois, a narrativa original se perdeu no tempo! Alguns dizem que o primeiro a contá-la foi Esopo, mas não temos certeza! Obrigado por seu comentário. =)

      Excluir
  9. Olá Filipe,
    Não conhecia essa fábula, mas achei bastante interessante e atual.
    Acho muito legal ver como fábulas tem tanto para ensinar e, ainda assim, eu não leio com frequência. As histórias são simples comum ensinamento sem tamanho.
    Vou salvar essa para mostrar para uns amigos.
    Beijos,
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Bruna, fico feliz de saber que gostou! :)

      Excluir
  10. Nunca tinha lido essa fábula, nas entrelinhas há uma mensagem muito importante que podemos levar pra vida toda, em todo lugar estamos sujeitos a esse tipo de "amigo" que nos instiga a fazer algo e que na realidade só vai favorecer a ele.
    Parabéns pelo blog ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Maysa! Que bom, fico muito feliz de saber que gostou da fábula! Grande abraço. =)

      Excluir
  11. Oiee Filipe ^^
    Eu também não conhecia esta fábula, mas, realmente, é possível encontrar pessoas como os personagens em todos os lugares. Achei interessante, consigo pensar em muitas pessoas que foram enganadas por "amigos" e fizeram muitas besteiras *-*
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, Dryh! Obrigado por seu comentário, grande abraço. =)

      Excluir
  12. Oi
    Apesar da escrita estar um pouco confusa, gostei muito da mensagem transmitida.
    A ilegalidade e desonestidade não compensa. Seus frutos nunca serão bons ou viáveis.
    Achei bem legal conhecer.
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rízia! Obrigado pelo seu comentário, fico extremamente feliz que tenha gostado da mensagem passada! Grande abraço. =)

      Excluir
  13. Olá!

    Eu não conhecia a fábula!
    Pude ver que você tem outros posts de fabulas assim curtinhas né?! Adorei sua ideia! As imagens ficaram perfeitas! Parabéns, muito legal mesmo! Fábulas sempre mostram algo!

    Bjus
    Blog Fundo Falso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Andréa! Sim, aqui no blog costumo postar fábulas e contos que ouvia quando criança. Obrigado pelo elogio, grande abraço! :)

      Excluir
  14. Amei a fábula! Fazia tempo que não lia uma e acho maravilhoso o poder que a literatura tem de nos entreter e nos levar a reflexões como desse enredo! Voltarei a leitura de fábulas com certeza!

    www.citacaonumclick.com.br

    ResponderExcluir
  15. Oi Filipe, eu não conhecia essa fábula ainda e devo admitir que gostei muito dela. Além de ter uma história legal, trás uma mensagem importante tanto naquela época quanto nos dias atuais. Gostei muito dela!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/?m=1

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, Kétrin! Que bom que gostou... :)

      Excluir
  16. Oi Filipe!
    Admito que entrei aqui sem saber muito bem o que esperar e, uau, isso me surpreendeu! haha
    Adoro fábulas, acho que elas sempre tem uma lição que a gente possa aplicar no dia a dia e essa é uma que não é diferente da regra. Nunca tinha ouvido falar dessa fábula, mas achei ela incrível. É impressionante como podemos aplicar ela em várias situações de hoje, não só em casos de reis invadindo terras alheias.
    Parabéns :)
    Beijos!

    www.beyondbluedoors.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado, Bruna. As fábulas, realmente, têm muito a nos ensinar!

      Excluir
  17. Olá, Filipe!
    Ler essas fábulas está sendo um resgate da minha infância, estou super curtindo...!

    ResponderExcluir
  18. gostei muito , é muito interessante..
    para se pensar..
    grande abraço.
    http://elianeapkroker.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir