O Enigma do Quatro, de Caldwell & Thomason


O Enigma do Quatro é um livro que contém mistérios do início ao fim. Escrito por Ian Caldwell e Dustin Thomason, é comparado com as histórias de Dan Brown; autor de O Código da Vinci.
A trama se passa em torno de quatro amigos - Tom, Paul, Charlie e Gil -, estudantes da faculdade de Princeton nos Estados Unidos.
Por estarem no último ano, Paul e Tom dedicam-se, incansavelmente, a tese cujo tema é um misterioso livro escrito na Renascença, que eles acreditam conter segredos absurdos sobre a história da humanidade. E, de fato, através da criptografia, descobrem pistas que levam a outros mistérios.
"O forte tira o fraco, mas o astuto tira o forte."
Todo esse desejo e curiosidade pelo livro, nomeado de Hypnerotomachia Poliphili, veio do pai de Tom, que durante anos dedicou a vida para desvendar os mistérios da Renascença, mas que faleceu antes de concluir sua obra.


Talvez, no início, a história possa parecer meio cansativa e detalhada; muitas vezes pensei que algo não fazia sentido, mas, no final, tudo se encaixou perfeitamente, e eu notei que nenhum detalhe foi desnecessário para a conclusão do mistério.
"O relógio da vida completou mais um ciclo, e o tempo transformou amigos em estranhos."
Por tratar de um assunto complicado para alguns, o exemplar não fez tanto sucesso quanto se imaginava. Em contrapartida, para os amantes de história das artes e da linguagem, o livro foi, e continua sendo, um prato cheio. Explica, de forma única e simplificada, a Renascença e o Iluminismo, retratando o estágio mais avançado do humanismo na Itália. Período de Leonardo da Vinci, Machiavelli,  Boccaccio, Dante, entre muitos outros.


É narrado na primeira pessoa, por Tom,  e, apesar dos termos históricos, a leitura flui com facilidade, devido a possibilidade de consulta aos apêndices das páginas.
"Sempre haverá mais notícias para escrever, mais teorias para provar, mais fenômenos para observar. A deliciosa futilidade das tarefas impossíveis é o atrativo dos que trabalham muito para ter sucesso."
É um livro que tem muito a ensinar, daqueles que jamais foge da realidade. Aprendi que para mudarmos de opinião, basta um estalar de dedos. E que jamais atingiremos o sucesso se pensarmos da mesma forma que outros pensaram. Muitos tentaram, durante 500 anos, descobri os segredos do Hypnerotomachia Poliphili, mas todos que seguiram passos já traçados, fracassaram. Era preciso pensar em algo novo, assim como o Iluminismo e a Renascença foram para a humanidade: deixar as trevas da Idade Média e cair nas graças do esclarecimento e da sabedoria.

Título: O Enigma do Quatro
Autor: Ian Caldwell e Dustin Thomason
Data de Lançamento: 2005
Editora:  Editora Planeta
Páginas: 432 | Esse livro no Skoob
Sinopse: O Hypnerotomachia Poliphili é um dos livros mais preciosos e menos compreendidos dos primórdios da imprensa ocidental. Dele sobraram menos cópias do que da Bíblia de Gutenberg. Os estudiosos continuam a discutir a identidade e o intento do misterioso autor do Hypnerotomachia, Francesco Colonna.

Compartilhe no Google Plus

Sobre Filipe Penasso

Autor e resenhista do Pena Pensante, 22 anos, acadêmico de Relações Internacionais e Comissário de Voo por formação.
    Comente pelo Blogger
    Comente pelo Facebook

6 comentários:

  1. Nossa não conhecia este livro, e agora estou interessada...ótimo trabalho. ..

    ResponderExcluir
  2. Esse livro parece ser perfeito! Preciso dele, agora...

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia a obra, agora fiquei curioso pois amo esse estilo literário!

    ResponderExcluir