Eu Fui Amelia Earhart, de Jane Mendelsohn


Amelia Earhart foi a mais famosa aviadora de sua época; a primeira mulher que atravessou o atlântico sozinha a bordo de um bimotor. Em 1937, quando tentou dar a volta ao mundo na companhia de seu navegador, Fred Noonan, sua aeronave desapareceu dos radares perto da costa de Nova Guiné, e nunca mais foi vista.
"O céu é uma carnalidade."
Como seu corpo não foi encontrado, em 1998, Jane Mendelsohn aproveitou-se desse desconhecido fim para publicar seu primeiro romance ficcional: Eu Fui Amelia Earhart.
Utilizando o diário de Amélia para narrar os fatos, a autora dedica a maior parte da trama aos acontecimentos ocorridos depois do acidente, numa ilha deserta no meio do oceano pacífico. Lá, a aviadora desfruta da liberdade que tanto almejava em vida.


A obra não foca no espirito aventureiro que Amelia Earhart possuía nem nas suas grandes experiências de vida. Esperei grandes emoções com a descrição de suas atitudes e personalidade aventureira, no entanto, o livro demonstrou-me ser mais um romance carnal - algo lúdico. É possível perceber, facilmente, uma profunda descrição da natureza em torno da ilha e desejos amorosos entre Amélia e Noonan.
"O caminho da vida é maravilhoso... Para atingi-lo, passa-se pelo desapego."
A história é narrada tanto na primeira pessoa quanto na terceira. Há uma transição de tempo no início, onde a autora vai ao futuro, volta ao presente e retorna ao passado. Esse é um fato que pode distrair o leitor, mas que não causa perturbações, já que não interfere nos acontecimentos da ilha. 
Embora não tenha acontecido nada de imprevisível, o livro me passou a mensagem de que, muitas vezes, o que parece ser algo prejudicial, no decorrer do tempo, se torna agradável e encantador desde que estejamos dispostos a nos acostumar.

Título: Eu Fui Amelia Earhart
Autor: Jane Mendelsohn
Data de Lançamento: 1998
Editora:  Rocco
Páginas: 180
Sinopse: Este surpreendente best-seller é uma poética e sonhadora evocação da vida da legendária aviadora Amelia Earhart depois de seu desaparecimento, em julho de 1937, na costa de Nova Guiné, após 21 horas de vôo, em companhia do belo navegador Fred Nooman.

Compartilhe no Google Plus

Sobre Filipe Penasso

Autor e resenhista do Pena Pensante, 22 anos, acadêmico de Relações Internacionais e Comissário de Voo por formação.
    Comente pelo Blogger
    Comente pelo Facebook

16 comentários:

  1. Olá, Filipe. Poxa seu blog tem um conteúdo de excelente qualidade :) Eu não conhecia esse livro, achei a história muito interessante! Beijo.
    www.sweet-surrender.hol.es

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico extremamente feliz ao ler comentários como o seu, Giovana! Obrigado!

      Excluir
  2. Oi Filipe!
    Admito que não conhecia a Amelia, e fiquei curiosa sobre o livro. Parece ser uma boa leitura, mesmo não tendo focado nas aventuras dela. Ótima resenha. :)
    beijos ♥
    nuclear--story.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Daniela! Fico contente por ter gostado. Aprecio muito do seu blog, sempre o acompanho! Grande abraço! :)

      Excluir
  3. Nunca tinha ouvido falar O:
    achei a historia muito interessante!
    amei seu blog! eu amo resenhas de livros s2
    super seguindo aqui! beijão!
    www.ressurgente.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eis o tipo de comentário que qualquer pessoa gostaria de ter em seu blog! Obrigado, Jéssica, sucesso para você!

      Excluir
  4. Já conhecia Amelia, no entanto, "Eu fui Amelia Earhart" não me chamou muito atenção, talvez por não trazer o espírito da aviadora e ser um tom mais lúdico.
    Abraços e que a Força esteja com você!
    http://www.paradageek.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, Mateus! Creio que seu espírito aventureiro só é relatado em sua biografia, mas essa, infelizmente, não li. Porém, existe um filme lançado em 2009. Talvez seja um boa opção!

      Excluir
  5. Olá, tudo bem?
    Nunca tinha ouvido falar na Amelia, não sou uma pessoa muito informada no quesito aviação (só sei algumas coisas sobre o Antoine de Saint-Exupéry pois é de lei) mas pelo que pude perceber o livro é mais para quem já conhece o espírito livre e aventureiro da Amelia, para mim acho que seria mais indicado uma biografia inicialmente né?

    ✩ Voando Sem Peter ✩

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Além da biografia, existe o filme, também! Entretanto, no início do livro é narrada de forma superficial um pouco da sua vida... Daí, já dá para tirar uma ideia! :)

      Excluir
  6. Já ouvi falar na Amelia, em aulas de história. Fiquei encantada pelo espírito aventureiro dela quando o professor tocava no nome dela, porém não senti interesse em ler esse livro não, parece que não fala do espírito aventureiro dela.
    Beijos,
    www.hitsdomomento.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo, Clara! Criei expectativa sobre isso no decorrer da minha leitura e foi uma grande decepção. No mais, a obra foi boa! Gostei muito do seu blog, parabéns...

      Excluir
  7. Parece interessante e olha que eu não gosto de histórias de época, mas fiquei louca para ler esse livro.

    www.heytutty.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi, tudo bem? Como você pediu a postagem já foi liberada Filipe!
    Então, quando você tiver um tempinho passa lá no ER pra conferir.
    http://www.expectativasreais.com.br/2016/02/resenha-lost-1-temporada.html

    Eu vou vim aqui novamente para ler a sua postagem e comentar, assim que eu for responder os comentários das postagens anteriores,ok?!
    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Dani, antes de você falar, eu já tinha visto e comentei! Obrigado por ter escrito a resenha; fiquei extremamente feliz por você ter atendido meu pedido! Grande abraço... :)

      Excluir