O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá, de Jorge Amado


Jorge Amado escreveu o livro O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá em 1948 como um presente ao filho. Entretanto, ele só foi publicada em 1976.
A história se passa em um parque onde habitam vários animais. Cada um deles recebe uma descrição detalhada de sua personalidade, e é possível perceber que eles vivem, praticamente, igual aos humanos; falando, discutindo e até fofocando.
Todos no parque temiam o gato malhado pois o julgavam responsável pelas atrocidades que aconteciam na região. Embora ninguém tivesse nenhuma prova, o apontavam como culpado apenas por sua aparência de malvado.
Certa vez, a andorinha mais desejada entre os passarinhos resolveu enfrentá-lo. Todos receavam a morte da coitadinha; pensavam que o gato não teria piedade. Porém, o que ela acabou descobrindo foi que ele não era tão mau como falavam, e os dois se tornaram amigos.
O gato e a andorinha passaram a primavera toda se encontrando pois não faltava assunto. De início, tiveram dificuldade para assumir, mas depois viram que não dava mais para disfarçar o amor que um sentia pelo outro.
Isso deixava a bicharada inquieta. Como ninguém aceitava o romance dos dois, planejaram um casamento arranjado para a pequena ave. E nisso, a história continua... 
Apesar do livro ser, consideravelmente, pequeno, é possível tirar boas gargalhadas com os diálogos e se surpreender com a história de amor entre os dois animais. A narrativa é feita na terceira pessoa. Eu o recomento para os que buscam passar momentos de alegria e diversão, apesar da obra apresentar, também, um toque de tristeza.
Embora contenha humor, o livro transmite de forma clara sua nobre mensagem. O que aprendi foi que não devemos julgar alguém pela fisionomia e apontar sem provas. Mesmo quando não gostamos de uma pessoa, ela pode nos surpreender com um gesto de bondade.

Título: O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá
Autor: Jorge Amado
Data de Lançamento: 1976
Editora: Record
Páginas: 52
Informações: Com grande lirismo, Jorge Amado narra a história do amor de um gato mau por uma adorável andorinha. Com ilustrações aquareladas do artista plástico Carybé, a narrativa mostra como duas criaturas bem diferentes podem não apenas conviver em paz como mudar a maneira que cada um tem de ver o mundo.

Compartilhe no Google Plus

Sobre Filipe Penasso

Autor e resenhista do Pena Pensante, 22 anos, acadêmico de Relações Internacionais e Comissário de Voo por formação.
    Comente pelo Blogger
    Comente pelo Facebook

8 comentários:

  1. Esse livro me lembra minha infância, foi um dos primeiros livros que li, um amor. Beijosss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jana, esse também foi um dos primeiros livros que li! Sorte a nossa, não? Grande abraço! :)

      Excluir
  2. Que resenha linda. O contexto me lembrou um pouco "A revolução dos bichos", onde os animais conversavam e viviam como humanos, apesar de ser uma história totalmente diferente hahah. Adorei o livro, senti muita vontade de ler.

    Mergulhares | Blog

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Puxa, ótima dica. Nunca li A Revolução dos Bichos, mas vou acrescentá-lo na minha lista! Obrigado, Mergulhares.

      Excluir
  3. Não conhecia esse livro de Jorge Amado, a história parece ser leve e gostei da conclusão que vc tirou, é a pura verdade!
    Obrigada por visitar nosso blog, bjus!

    bomhumornaosaidemoda.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Rebeca! Fico feliz por você ter gostado... :)

      Excluir
  4. Amei a resenha e fiquei com vontade de ler rsrs! Livros nunca são de mais né?!
    Achei seu blog no CBB e já estou seguindo, mt bacana!!
    Beijos :*
    http://duranteos16.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com toda certeza, Clara, livros nunca são de mais! Obrigado por seguir o meu blog; já dei uma olhada no seu e achei muito bacana também! Parabéns e sucesso...

      Excluir