A Voz do Silêncio, de Helena Blavatsky


Helena Blavatsky escreveu o livro A Voz do Silêncio no ano de 1888. Demorou apenas algumas semanas para colocar no papel toda a sua experiência com a cultura oriental.
Seu objetivo era descobrir como os monges tibetanos alcançavam a plenitude espiritual e a perfeita comunhão entre corpo e alma. Naquela época, poucos se interessavam pela cultura oriental, mas H. Blavatsky insistiu em sua busca e, deixando seu país de origem - Rússia -, deu início a sua jornada.
Tentou diversas vezes entrar Tibete, mas não conseguia. Até que em uma de suas tentativas, passando pela Índia, conseguiu cruzar as fronteiras e entrar no país.
Ela obteve o que queria com os monges, porém, não pôde usar qualquer tipo de papel ou caneta para anotar suas experiências. Foi obrigada a decorar textos enormes.
O responsável pela tradução portuguesa, foi o escritor Fernando Pessoa. O livro é um conjunto de três fragmentos que, originalmente, teve o nome de Livro dos Preceitos Áureos, e contém a essência dos ensinamentos budistas tibetanos.
A obra contém uma grande sabedoria antiga e eterna no tempo, como uma introspecção - uma busca no interior da alma. Requer um alto nível de concentração para que haja o entendimento do conteúdo, afinal, não é um livro para quem busca momentos de lazer e sim para quem deseja aprender mais sobre como realizar uma profunda viajem no interior espiritual.
A edição que li, apresenta mais de quarenta páginas apenas falando do escritor Fernando Pessoa e seu interesse sobre o tema. Para os que não estiverem interessados nisso, eu recomendo que pulem direto para o primeiro fragmento.
Como todo livro, também pude adquirir sabedoria com A Voz do Silêncio. Entretanto, nas últimas páginas não estava mais tendo fascínio em lê-lo; lia por uma espécie de obrigação. Talvez não fui capaz de perceber seu real significado devido às distrações que tive no decorrer da leitura.
Não indico-o para os que não têm o habito da leitura pois, como já foi dito, é uma leitura extremamente difícil. Mas para os interessados que possuem um vocabulário rico e uma análise apurada, tenho certeza que vão tirar muito proveito desse livro que é considerado uma das maiores obras da autora.
O que aprendi foi que para atingir o mais alto grau de pureza espiritual é necessário passar por uma jornada desafiadora. Entretanto, para começar, o primeiro passo a ser dado é a vontade de fazer o bem, ou seja, a vontade de evoluir.

Título: A Voz do Silêncio
Autora: Helena Blavatsky
Tradutor: Versão portuguesa de Fernando Pessoa
Data de Lançamento: 1889
Editora: Civilização Brasileira
Páginas: 127
Informações: Última obra de H. Blavatsky.  O livro é uma obra-prima da literatura espiritual que ilumina e inspira os buscadores da verdade. São fragmentos extraídos do Livro dos Preceitos de Ouro.

Compartilhe no Google Plus

Sobre Filipe Penasso

Autor e resenhista do Pena Pensante, 22 anos, acadêmico de Relações Internacionais e Comissário de Voo por formação.
    Comente pelo Blogger
    Comente pelo Facebook

8 comentários:

  1. Caramba! Esse livro é bem antigo. Realmente, quem quiser ler essa obra precisa ter atenção redobrada!!!

    ResponderExcluir
  2. Oe Filipe! Tudo bom?
    1888? Cara, sem comentários! *0* Preciso ler livros como este! Mas enfim, te conheci pelo CBB, seguindo (:
    Meu blog:http://www.16primaverasblog.com/ Página:http://www.facebook.com/16primaverasblog/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico extremamente feliz por ter gostado, Ingrid! Afinal, como foi dito na resenha, são poucos que conseguem se interessar por livros tão complexos como esse! Grande abraço...

      Excluir
  3. Gostei da sua resenha. Mas, esse livro claramente não é para a minha pessoa, haha. Gosto de livros leves e de preferência que tenham um bom romance.

    www.expectativasreais.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz que gostou da resenha, Dani! :)

      Excluir
  4. Já ouvi falar desse livro e fiquei com mais vontade de ler depois da sua resenha!

    Beijos,
    Camilla
    www.fikdikblog.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, Camilla! Volte sempre...

      Excluir