O Segredo de Cura dos Índios


Há uma lenda dos índios iroqueses que conta a história de um grupo de índios que ia andando por uma trilha que levava a uma aldeia, quando de repente, um coelho saltou de uma moita e parou na frente deles. Os índios pararam e observaram o animal que se sentou no meio da trilha e ali ficou imóvel. Atiraram flechas no coelho e as mesmas saíram sem manchas de sangue ao atravessarem o animal.
Puxaram o arco para atirar mais flechas, mas o coelho tinha desaparecido. Em seu lugar havia um homem, parado no meio da trilha. Parecia muito fraco e doente. O velho pediu comida e abrigo. Os índios não deram atenção e continuaram seu caminho. Assim, o velho seguiu atrás deles, a passo lento, até chegar às tendas da aldeia. Em frente à cada tenda, havia um mastro com uma pele de animal estendida, que era o símbolo do clã que ali morava.
O velho parou em frente à tenda com pele de lobo e pediu para entrar, mas não deixaram: “Não queremos nenhum enfermo aqui” , disseram. Seguiu para outra tenda. Nesta havia um casco de tartaruga pendurado no mastro. Mas a família também não o deixou entrar. Pediu para entrar na tenda com a pele de castor e novamente o mandaram embora. E foi mandado embora também da tenda dos clãs do cervo, do condor, da garça e da saracura.


Ao ver uma tenda com a pele do urso, pensou: “Vou pedir abrigo uma última vez”. E nessa tenda morava uma mulher velha que trouxe comida e estendeu peles para ele se deitar. O velho contou que estava muito doente e pediu-lhe para buscar certas plantas na floresta que iriam curá-lo. Ela seguiu as instruções e em pouco tempo ele estava curado.
Alguns dias depois, o velho ficou doente de novo. Disse à mulher para buscar certas folhas e raízes na mata, ela obedeceu e logo ele se curou. Dessa forma, ficou doente muitas vezes mais, cada vez uma doença diferente, e a cada nova doença, ele dizia à mulher que ervas e raízes devia colher, e logo ficava curado. Em pouco tempo, a mulher do Urso sabia curar mais doenças que qualquer pessoa na aldeia.
Um dia o velho disse à mulher que tinha sido enviado pelo Grande Espírito para ensinar à tribo os segredos da cura. Eu cheguei doente e faminto em muitas tendas. Ninguém abriu o pano para eu passar. Só você afastou o pano da porta e me fez entrar. Você é do clã do Urso. Os outros clãs terão que vir ao Urso para se curar. Você deve ensinar a todos os clãs plantas, folhas e raízes que curam. E o Urso será o maior de todos os clãs.
A mulher quis agradecer ao Grande Espírito pelo conhecimento da cura, mas ele havia desaparecido. Foi à porta da tenda e não havia ninguém. Apenas um coelho corria lépido em direção à mata.

Compartilhe no Google Plus

Sobre Filipe Penasso

Autor e resenhista do Pena Pensante, 22 anos, acadêmico de Relações Internacionais e Comissário de Voo por formação.
    Comente pelo Blogger
    Comente pelo Facebook

2 comentários:

  1. Amei o blog e os posts parabéns !
    Beijos, sucesso!

    www.blogsemprebella.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, tudo de melhor para você também!

      Excluir