Os Nômades do Espaço.


Todos nós, nas noites de céu claro, já fizemos um desejo qualquer, mentalmente, ao ver rasgar o firmamento um ponto luminoso, mais conhecido como estrela cadente. 
Diante desse fenômeno vindo de infinitas distâncias, que sai de zonas perdidas no universo e vem morrer aqui na Terra, podemos deslumbrar seu brilho  por alguns momentos, até que desaparece tal como surgiu.
Estrelas cadentes, essa maravilhosa chuva fosforescente, acontece devido à passagem do planeta através da calda de um comenta,  os nômades do espaço. A poeira meteórica incendeia-se ao entrar na atmosfera e arde sem deixar vestígios.
Esses astros de longa esteira luminosa  os comentas  com suas caudas gigantes e nebulosas refletindo a luz do sol, eram atribuídos na antiguidade à tragédia e maldição.
Assim fez o médico do século XVI, Ambrósio Paré, ao descrever um cometa avermelhado em que se via monstros horríveis empunhando espadas, e o cardeal Mazarino que previu a própria morte; diz a Enciclopédia Trópico.
Em 1682, o astrônomo inglês Halley pôde calcular o período que cada um demoraria até sua sucessiva aparição.  Mas, mesmo assim, as lendas de maldição vindas com a chegada de um cometa não paravam de circular. 
Em 1910, quando foi prevista a passagem do cometa Halley, ninguém dormia esperando o pior. Felizmente nada de ruim aconteceu e todos ficaram deslumbrados com tamanha beleza até voltar novamente à sua viagem pelas trevas do universo.

Compartilhe no Google Plus

Sobre Filipe Penasso

Autor e resenhista do Pena Pensante, 22 anos, acadêmico de Relações Internacionais e Comissário de Voo por formação.
    Comente pelo Blogger
    Comente pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário