O Farol de Alexandria.


O Farol de Alexandria é a única das sete maravilhas do mundo antigo construída para fins utilitários. Ptolomeu Filadelfo, em 279 A.C., valeu-se do arquiteto Ostrato de Cnido para que este construísse, na ilha de Faro, diante de Alexandria, uma torre que servisse de orientação para os navegantes. Nos é difícil imaginar exatamente a forma: entre ás varias hipóteses, prevalece aquela de que era constituído de três corpos, dos quais um, retangular e maciço , formava o embasamento; o segundo, octogonal, continha as repartições alfandegarias e a residência dos guardas; o terceiro , enfim era câmara de fogo. Sostrato, para que o edifício tivesse maior solidez e resistisse à corrosão das águas, empregou, nos alicerces, blocos de vidros, e,  sobre estes, erigiu  a construção  toda, em blocos de mármore ligados por chumbo derretido. Para que a luz do farol não pudesse, de longe, confundir-se com a das estrelas, foi-lhe adaptado um imenso espelho de metal: a luz do fogo, refletindo-se naquela superfície oscilante, aparecia, realmente vibrando. Solidíssimo e resistente às intempéries e à fúria das guerras, o Farol de Alexandria foi demolido, infelizmente, no século XII pela insensatez do califa de Alexandria Al Walid, o qual , julgando que neles se ocultasse um tesouro ordenou que a linda e útil obra fosse arrasada.

Compartilhe no Google Plus

Sobre Filipe Penasso

Autor e resenhista do Pena Pensante, 22 anos, acadêmico de Relações Internacionais e Comissário de Voo por formação.
    Comente pelo Blogger
    Comente pelo Facebook

2 comentários:

  1. Só de ler imagino como era <3 adorei a postagem!

    http://blogcarlosabreu.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir