A História de Chevalier D'Assas


Há muito tempo, franceses e alemães estavam em guerra. No sul da Alemanha o exército francês se retirava diante do inimigo, depois de acampar a noite ao fim de um longo dia de marcha. O regimento de Auverne fazia parte do lado francês que conseguiu chegar mais perto do inimigo, e o posto mais avançado desse regimento era uma divisão que tinha como capitão um bravo jovem oficial, Chevalier D'Assas.
O general francês achou que o inimigo poderia tentar atacar seu exército no dia seguinte. Achou que não havia perigo durante a noite, pois não pensou que eles estivessem suficientemente perto, mas de qualquer forma queria saber sua localização. O coronel do regimento de Auverne ordenou que Chevalier D'Assas fosse verificar se o inimigo se encontrava por perto do acampamento.
Era uma noite escura. D'Assas foi sozinho e seguiu cuidadosamente, passando por matas e florestas. Não havia lua para ajudar, e ele teve que seguir em frente tateando pelo caminho.
A princípio, não encontrou qualquer sinal do inimigo, nem escutou nada. A floresta estava em completo silêncio, e ele procurou passar com toda cautela sem fazer nenhum ruído.
Cobrira apenas uma pequena distância quando passou por uns arbustos pequenos e pareceu entrar numa área descampada.
Imediatamente, viu-se rodeado por escuras silhuetas. Sentiu o corpo sendo pressionado por baionetas de todos os lados e uma voz sussurrando-lhe ao ouvido:
— Se você fizer algum barulho, morre.
Num instante, D'Assas se deu conta de que o inimigo havia conseguido se aproximar do acampamento e iria tentar atacar de surpresa o exército francês. Se conseguisse avisar seu regimento, eles poderiam se aprontar a tempo para se defender e salvar o resto do exército. Mas ele sabia que, ao emitir qualquer som, pagaria por isso.
Não hesitou nem por um segundo.
Recuou, apenas para inspirar fundo, e depois, com todas as suas forças, gritou:
— Auverne! Auverne! O inimigo! O inimigo está aqui!
Imediatamente seu corpo foi atingido por vinte baionetas, e ele caiu morto no chão.
Sua divisão e o resto do regimento despertaram com o grito. Eles correram em socorro, o mais rápido que puderam, mas foi tarde demais para salvá-lo. De qualquer form, chegaram a tempo para retardar o inimigo até que  o resto do exército francês, estivesse pronto para o ataque. Ao verem que o ataque surpresa havia falhado, os alemães recuaram.
O nome D'Assas foi honrado e admirado por toda a nação, pelo seu sacrifício heroico. A história nos faz lembrar que o destino de um exército às vezes depende da proeza de uma alma corajosa.

Compartilhe no Google Plus

Sobre Filipe Penasso

Autor e resenhista do Pena Pensante, 22 anos, acadêmico de Relações Internacionais e Comissário de Voo por formação.
    Comente pelo Blogger
    Comente pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário